7 dicas financeiras para quem mora sozinho

Aprenda a se virar melhor com estas 7 dicas imperdíveis.

Guia de Bolso | 13 de janeiro de 2017
dicas financeiras
dinheiro
economia
economizar
finanças
Morar sozinho
orçamento
planejar seu orçamento
planilha financeira
salário
sistema cooperativo de crédito
mora sozinho
mora sozinho

Morar sozinho é uma prazerosa conquista e, ao mesmo tempo, pode representar também muitos desafios e aprendizados. Em geral, você precisa responsabilizar-se por tudo, limpar tudo, manter a casa em ordem e a sua vida também.

Pode parecer simples falando assim, na prática, porém, começar a cuidar da vida, da casa, das finanças e tudo mais, pode acabar parecendo uma complicada equação. Mas superar desafios assim só aumenta a sensação de liberdade e independência.

Então, que tal começar equilibrando melhor o orçamento? Manter as finanças em ordem é uma conquista que, certamente, pode lhe ajudar a realizar muitas outras. Pra facilitar, confira 7 dicas financeiras imperdíveis para quem mora sozinho:

1 - Aproveite para conhecer-se melhor

Essa pode até parecer uma dica de autoajuda, mas pode apostar que conhecer-se melhor lhe ajudará, e muito, em suas finanças.

Afinal, para planejar seu orçamento de forma mais eficiente e fazer melhor uso do seu dinheiro, é preciso repensar seus objetivos de vida, estabelecer prioridades, além de entender melhor seu tempo, seus ganhos e suas despesas, entre outros.

Então, que tal aproveitar seu tempo sozinho para reparar melhor em seus hábitos e gostos, refletir sobre seus projetos e sonhos, além, é claro, de dedicar alguns momentos para sua organização financeira?

2 - Entenda e valorize seu tempo

Você já deve ter ouvido dizer que o tempo é valioso ou que tempo é dinheiro. Mas já parou realmente para pensar nisso?

Você valoriza o seu tempo? Sabe quanto vale uma hora do seu trabalho? Dedica tempo a suas prioridades? Procura usar seu tempo em coisas importantes para você?

Reflita sobre o uso que você tem feito de seu tempo. Será que não é possível torná-lo mais produtivo, fazendo uma renda extra nas horas livres, por exemplo? Ou será que não é o caso de reprogramar suas atividades e horários para um modelo mais adequado aos seus objetivos?

3 - Não evite o controle de orçamento

Não adianta ter medo das planilhas e ficar evitando olhar os extratos para não se assustar. Melhor mesmo é enfrentar a questão de frente, testando qual o melhor método de controle financeiro para você:

- prefere ter um alicativo no celular para acompanhar seus gastos de forma mais prática? Então, olha este app gratuito aqui.

- está mais adaptado a planilhas e gráficos? Você pode baixar a sua planilha financeira gratuitamente aqui.

- acha melhor ter todo o dinheiro em mãos para ver melhor como está gastando? Conheça o método dos envelopes.

- quer anotar no caderninho? Guardar comprovantes? Acompanhar pelos extratos e faturas online? Não tem problema. O que importa é descobrir qual a melhor maneira de controle financeiro para você.

Controlar seu orçamento é uma forma de garantir mais tranquilidade financeira, assumir sua independência e mover-se rumo aos seus objetivos.

4 - Repare melhor em suas despesas

Em que você mais gasta dinheiro? Como gastou o seu último salário (ou sua última renda)? Quais de seus gastos são prioritários para você?

Entender como você usa seu dinheiro é fundamental para controlar e planejar melhor seu orçamento. Adotando um app, uma planilha financeira ou acompanhando com mais frequência seus extratos, como mencionamos, você poderá reparar melhor em suas despesas.

Mas é importante ir além disso e analisar de forma mais profunda seus gastos para saber se você realmente está usando bem o seu dinheiro. Veja só:

5 - Defina prioridades, gastos com estilo de vida e desperdícios

Muita gente diz que, para economizar, basta cortar todos os supérfluos. Só que, além do conceito de supérfluo variar de caso a caso, um item, mesmo que supérfluo, pode fazer parte de algum momento importante.

Um exemplo: para muitos, o lazer pode parecer supérfluo. Mas cortar todo o lazer não é nada recomendável e pode acabar lhe fazendo desanimar da economia.

A questão é, na verdade, começar a consumir com mais consciência. Identificar o que realmente são gastos essenciais e prioridades para você, o que são gastos com estilo de vida que você pode reduzir, o que são supérfluos que você prefere manter, e assim por diante.

Para conseguir comprometer-se com seus objetivos de economia, melhor do que cortar tudo ou mudar radicalmente seus hábitos pode ser:

- tentar fazer substituições (de marcas; do carro pela bicicleta; da academia pelos exercícios ao ar livre; do cinema pelo filme em casa, etc.);

- repensar cada compra e buscar economizar em cada uma.

Agora, se você identificar desperdícios entre os seus gastos - como compras por impulso, desperdícios de alimentos, de água e de energia, etc. - procure evitá-los.

6 - Vá mais vezes ao mercado

Para quem mora sozinho, a compra do mês não costuma ser muito recomendável. Exceto no caso de itens não perecíveis ou se a ideia for dividir as compras com alguém. Afinal, o baixo consumo não costuma justificar a compra em quantidade, mesmo em casos promocionais.

Mas cozinhar em casa, ter opções de lanche e de café da manhã podem ser boas maneiras de economizar com restaurantes, lanchonetes e padarias.

Então, opte por ir mais vezes ao mercado e comprar quantidades adequadas ao seu consumo, para evitar desperdícios. Se algum produto for mesmo mais barato em maior quantidade, tente dividir a compra com um vizinho, por exemplo. E aprenda a conservar melhor os alimentos.

Reparar em seus hábitos de consumo e ter sempre uma lista antes de ir ao mercado são outras boas dicas para economizar nas compras.

7 - Não esqueça de pensar no futuro

Viver o presente não significa esquecer do futuro. Tenha em mente seus objetivos e lembre-se de que é preciso agir para alcança-los. Trace metas, economize, dedique-se à realização dos seus sonhos.

Além disso, é fundamental precaver seu bolso dos imprevistos que podem haver no caminho. Para tanto, criar e manter uma reserva financeira de emergência é a estratégia mais indicada. Assim, você pode evitar dívidas e rombos em seu orçamento no caso de algum imprevisto acontecer.

Outra recomendação é começar a preparar-se o quanto antes para a aposentadoria, investindo, por exemplo, em um Plano de Previdência Privada. Afinal, quanto mais cedo você começar a poupar, mais dinheiro conseguirá juntar (e ainda poderá contar com os juros compostos ao seu favor), assim, mais tranquilidade financeira terá para aproveitar a melhor idade.

Saiba mais sobre Previdência Privada.

Quer uma conta com menores taxas, crédito na medida certa e mais vantagens? Conheça o maior sistema cooperativo de crédito do país, o Sicoob.

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.


Assine nossa newsletter!


    Matérias que você também pode gostar