Investir na Bolsa de Valores é tão difícil quanto parece?

Como começar a investir na Bolsa de Valores sem medo?

Guia de Bolso | 09 de outubro de 2017
bolsa de valores
investimento
investir

Para muita gente, a Bolsa de Valores pode parecer uma realidade distante ou um assunto complicado. Mas nós vamos tentar simplificar um pouco para quem está começando e quer entender melhor sobre essa forma de investimento que, aliás, pode ser bem rentável.

Acompanhe:

– Por onde começar?
A investidora Nathalia Arcuri, do canal Me Poupe, recomenda para quem quer começar a investir na Bolsa que, antes de tudo, reflita sobre as seguintes questões:

1 – Você tem um bom controle financeiro? Sabe exatamente quais seus ganhos e gastos mensais?
Para investir em qualquer aplicação, é preciso poupar dinheiro. E para isso, é fundamental ter bom controle financeiro. No caso da Bolsa (e demais aplicações de renda variável), esse controle é ainda mais importante devido aos riscos envolvidos no investimento.

2 – Você já poupa e investe seu dinheiro? Já tem alguma experiência com aplicações de renda fixa (como títulos do Tesouro, letras de crédito ou CDB, por exemplo)?
Antes de começar a investir em renda variável, é aconselhável que você já tenha alguma experiência na aplicação do seu dinheiro, entendendo melhor sobre o relacionamento com corretoras de valores (sejam bancárias, cooperativas ou independentes) e sobre conceitos básicos, como indexação, rendimento, taxas, lucro real, etc.

3 – Você já analisou o desempenho de alguma empresa com capital aberto?
A Bolsa de Valores opera com a compra e venda de ações das mais diversas empresas que têm o seu capital aberto a investidores. Ou seja, para fazer um bom investimento na Bolsa, você precisará escolher uma ou mais empresas das quais irá adquirir ações. Portanto, precisará analisar o desempenho dessa(s) empresa(s) se quiser ter menos riscos na hora de investir. Então, antes de entrar na Bolsa, é bom criar o hábito de estudar o mercado.

4 – Você lida bem com riscos? Compreende a possibilidade de vir a perder dinheiro?
A renda variável pode proporcionar ganhos maiores. Mas também pode causar perdas de níveis variados. Ou seja, é um investimento com maiores riscos. É claro que toda aplicação envolve certo tipo de risco. Há até quem entenda que a vida é assim, permeada por riscos, e que não fazemos nada sem nos arriscar de alguma forma. Mas esse é um ponto de vista bem pessoal. Portanto, você precisa, antes de tudo, entender o seu perfil de investidor (que, certamente, tem a ver com o seu perfil pessoal). Antes de investir na Bolsa ou em outra aplicação de renda variável, reflita se você está disposto a lidar (e pode arcar) com riscos em suas aplicações.

5 – Você seria capaz de acompanhar o mercado financeiro e a Bolsa de Valores diariamente?
O valor das ações negociadas na Bolsa sofre a influência de fatores diversos e, assim, varia com grande frequência. É baseado nisso que muitos economistas dizem que investir na Bolsa de Valores é fácil, o que pode ser difícil é ganhar dinheiro na Bolsa, pois, para isso, é preciso entender bem sobre o cenário econômico de forma a investir nas melhores ações, aquelas que realmente têm maiores chances de subir.

6– Substitua o medo por conhecimento
Pode ser que você tenha respondido “não” a alguma das perguntas anteriores ou ainda não se sinta preparado para começar a investir na Bolsa. Mas não desanime!

Todo caminho começa com um primeiro passo. Portanto, se você quer investir na Bolsa, o primeiro passo é desmistificar o assunto, entender sobre ele. Informe-se, leia, assista vídeos.

Se você ainda não tem nenhum tipo de investimento, comece baixando gratuitamente o e-book Guia de Investimentos para entender melhor sobre os diversos tipos de aplicações financeiras e saber mais sobre o seu perfil de investidor.

Leia também:
O be-a-bá pra quem quer começar a investir.

Seja um investidor com apenas R$ 100.

Como funcionam os fundos de investimento?

5 razões para começar já sua Previdência Privada.

O que é RDC e quais as vantagens para você?

Além disso, crie o hábito de informar-se sobre o mercado e a economia. Tanto o cenário nacional quanto o internacional podem interferir no valor das ações a depender da empresa. E entender a lógica econômica ajuda a fazer melhores escolhas na hora de investir. Portanto, acompanhe o noticiário econômico, leia análises econômicas e previsões de mercado, enfim, informe-se e mantenha-se atualizado.

– O que são ações e outros conceitos básicos
Resumidamente, as ações são cotas do patrimônio de uma empresa. Portanto, quando você investe nas ações de uma empresa, torna-se dono de uma parte do negócio. Entenda mais sobre o assunto:

I.P.O. – quando uma empresa decide abrir seu capital e passa a ter suas ações listadas na Bolsa de Valores, ela faz uma Oferta Pública Inicial (em inglês, Initial Public Offering ou I.P.O.).  

Valuation – é a avaliação para estimar quanto uma empresa vale (levando em conta ativos, fluxo de caixa, etc.) e serve como base para determinar o valor das ações na Oferta Pública Inicial, em comparação ao atual preço das ações de outras empresas listadas na Bolsa.

Dividendos – quando você investe nas ações de uma empresa, pode obter rendimentos de, basicamente, duas formas: pode revender essas ações por um valor maior ou, sendo um dos acionistas, pode ganhar parte dos lucros da empresa, os chamados dividendos.

Trader – é o investidor que opta pela primeira opção, ou seja, obtêm rendimentos com operações de curto prazo, aproveitando a volatilidade do mercado para comprar ações e revendê-las por um valor maior.

– Conheça algumas alternativas
Para quem quer começar a experimentar os investimentos em renda variável sem, no entanto, correr tantos riscos, algumas alternativas podem ser:

Fundos multimercados – são fundos de investimentos em que o gestor mescla ativos como ações, câmbio, renda fixa, etc. Já que os fundos têm por característica reunir vários investidores e como, neste caso, o portfólio combina ativos de renda fixa e variável, você pode experimentar o potencial de ganho da renda variável com a segurança de investimento da renda fixa.

Certificados de Operações Estruturadas (COE) – de forma simplificada, são aplicações de renda fixa indexadas à renda variável (pode ser por ações, pelo câmbio, pela inflação, etc.). A vantagem é que, optando pelo COE, desde o início da operação, o investidor sabe: a) que não vai perder dinheiro (pode, no mínimo, não ter rendimentos); b) o quanto poderá ganhar no máximo (para compensar o fato de não perder dinheiro, há também um limite para ganhos).

– Não pare por aqui
A persistência pode ser a chave para o sucesso. Então, se você deseja investir na Bolsa de Valores ou em outras aplicações de renda variável, continue estudando sobre o assunto.

Saiba mais aqui (http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/como-investir/como-investir-em-acoes/).

Outra ação que pode favorecer suas finanças é cooperar.
Já conhece o maior sistema cooperativo financeiro do Brasil, o Sicoob (http://www.sicoobsc.com.br/)?

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.


Assine nossa newsletter!


    Matérias que você também pode gostar