Já pensou em trabalhar em uma cooperativa?

Além das cooperativas de trabalho, há muitas outras vagas, oportunidades e vantagens

Vantagens da Cooperação | 28 de agosto de 2019
cooperativas
produção
trabalho
Já pensou em trabalhar em uma cooperativa?
Já pensou em trabalhar em uma cooperativa?

Talvez você já saiba que o movimento cooperativista é um modelo socioeconômico alternativo, mais justo e humano, que está presente em mais de 100 países por todo o mundo. Agora, sabia que as empresas cooperativas geram mais de 250 milhões de empregos a nível global? Já pensou em trabalhar em uma cooperativa?

Se falarmos apenas do Brasil, são mais de 6.600 instituições cooperativas, gerando mais de 376 mil empregos. E isso não se limita às cooperativas de trabalho. É possível encontrar vagas em instituições cooperativistas que atuam nos mais diversos ramos econômicos.

Quer saber como funciona o trabalho em cooperativa e descobrir as vantagens de ter um emprego assim? Acompanhe:

 

Cooperativas de trabalho e de produção

Quando se fala em trabalho em cooperativa, muita gente pensa diretamente nas cooperativas de trabalho. Mas essa é só uma das opções existentes. Aliás, é importante esclarecer que associar-se a uma cooperativa de trabalho não é o mesmo que trabalhar para uma cooperativa.

A cooperativa de trabalho é um dos 13 tipos de instituições cooperativistas que atuam no Brasil. Normalmente, ela reúne profissionais do mesmo ramo que se juntam para conseguir melhores condições de trabalho ou de contratação.

Um grupo de dentistas, por exemplo, pode formar uma cooperativa de trabalho para conseguirem juntos montar um bom consultório. Um grupo de costureiras pode formar uma cooperativa desse tipo para ganhar mais representatividade no mercado e vender seus produtos mais facilmente.

Outra alternativa são as cooperativas de produção, formadas, em geral, por profissionais de diferentes ramos, dedicados à produção de algo em comum. Existem, por exemplo, as cooperativas de produção de móveis, de calçados, de eletrodomésticos, etc.

É válido esclarecer ainda que as cooperativas que reúnem profissionais (sejam de trabalho ou de produção) são empresas às quais esses trabalhadores se associam. Seguindo os princípios cooperativistas, essas instituições não visam ao lucro, sua gestão é democrática e elas contam com a participação econômica dos membros, os quais podem, inclusive, receber sobras em caso de resultados positivos.

Ou seja, nesses casos, não há um vínculo empregatício entre o trabalhador e a cooperativa. Os profissionais são todos donos da empresa cooperativa e participam das decisões da instituição. E quando uma cooperativa como essas decide terceirizar seus serviços, os membros podem, inclusive, opinar sobre a negociação de garantias ao trabalhador (que são de responsabilidade da empresa contratante).

Agora, atenção: há empresas que tentam burlar a CLT, atrelando a contratação à associação em supostas cooperativas de trabalho, das quais muitas vezes o futuro empregado não tem nenhum conhecimento prévio. Essa não é a situação ideal e pode acabar prejudicando o trabalhador.

Assim, para quem quer aproveitar as oportunidades das cooperativas de trabalho ou de produção, o mais recomendável é começar buscando por uma instituição cooperativista séria, que se identifique com seus valores e na qual você possa participar efetivamente das decisões, garantindo seus direitos e alcançando mais vantagens.

 

Como funciona o trabalho em outras cooperativas?

Para trabalhar em uma cooperativa, você não tem necessariamente que se associar à instituição (apesar de essa opção ser bastante vantajosa). Afinal, independentemente do ramo econômico em que atuam, as empresas cooperativas precisam contratar trabalhadores para as mais diversas atividades e funções.

Há vagas para cargos e especializações variados, de assessoria financeira, secretariado, marketing, RH, administrativo, técnico, entre muitas outras. Nesses casos, o profissional é contratado pela cooperativa, estabelecendo um vínculo empregatício com a instituição cooperativista. O contrato é regido pela CLT e o trabalhador tem seus direitos garantidos. Inclusive, pode haver mais vantagens. Veja só:

 

Vantagens de trabalhar em uma cooperativa

Em uma série mundial de entrevistas relacionadas com a publicação Cooperatives and Employment: a Global Report, ficou claro que os trabalhadores cooperativos experimentam “uma busca por eficiência, flexibilidade compartilhada, um senso de participação, um ambiente familiar e um forte senso de identidade."

Isso ocorre, principalmente, devido aos princípios do modelo cooperativista. Afinal, o cooperativismo é um movimento que valoriza as pessoas, reconhecendo que a soma de esforços é mais proveitosa do que a competição na hora de gerar melhores resultados.

Por isso, em cooperativas, as relações de trabalho costumam ser menos hierárquicas e mais horizontalizadas, com lideranças mais acessíveis e um senso de grupo mais acentuado.

Além disso, há muitas cooperativas que remuneram melhor seus colaboradores em comparação com empresas comuns. Segundo dados da Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul (FEE), por exemplo, em 2017, o salário médio dos funcionários de cooperativas gaúchas foi 20% maior que o de empregados do setor privado.

E as cooperativas ainda têm outros valores que devem ser levados em conta, como o princípio da Educação, formação e informação – que orienta à capacitação de todos os envolvidos no processo cooperativista – e o princípio do Interesse pela Comunidade – que estimula as cooperativas a atuarem de maneira socioambientalmente responsável e sustentável.

 

Entre as melhores empresas para se trabalhar

Segundo a edição de 2018 da pesquisa da GPTW (Great Place to Work) indicando as 150 melhores empresas para se trabalhar no Brasil, 22 delas são empresas cooperativas.

Para descobrir o Índice de Felicidade do Trabalho (IFT), a GPTW leva em conta o Índice de Qualidade do Ambiente de Trabalho (empresas com colaboradores mais felizes) e o Índice de Qualidade de Gestão de Pessoas (práticas mais modernas de RH).

Em 2018, novamente, o maior sistema cooperativo financeiro do Brasil – o Sicoob teve destaque na pesquisa, com várias cooperativas incluídas no ranking da GPTW, como o Sicoob Credicitrus (com 79,2 de IFT), o Sicoob Crediriodoce (77,1) e o Sicoob São Miguel SC (75,8).

Aliás, em todo o Brasil, o Sicoob e seus 4,4 milhões de associados ajudam a gerar mais de 40 mil empregos. Oportunidades para quem deseja trabalhar crescendo junto e cooperando. Vale a pena informar-se mais sobre a instituição e, se for o caso, ficar de olho nas vagas oferecidas.

 

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.


Assine nossa newsletter!


    Matérias que você também pode gostar