O Cooperativismo e a economia do futuro

Sabia que cooperar é uma tendência cada vez mais em voga no mercado?

Vantagens da Cooperação | 14 de janeiro de 2019
cooperativismo
economia
economia do futuro
futuro
O Cooperativismo e a economia do futuro
O Cooperativismo e a economia do futuro

Você já ouviu falar sobre o cooperativismo? Sabia que, cooperando, é possível fazer negócios com melhores resultados para todos? E as instituições cooperativas tem feito sucesso pelo mundo afora. Aliás, cooperar é uma das tendências que devem caracterizar a economia do futuro. Veja só:

 

Perspectivas socioeconômicas globais

É perceptível que nossa sociedade tem se transformado com uma velocidade cada vez maior, devido, principalmente, aos contínuos avanços tecnológicos, que se desenvolvem em ritmo exponencial.

No que diz respeito ao setor econômico, é possível observar, ainda, a ascensão de novos modelos de negócios, acirrando a competição já existente entre as empresas capitalistas tradicionais.

O diretor executivo do Instituto Europeu de Pesquisa em Cooperativas e Empresas Sociais (Euricse, na sigla original), Gianluca Salvatori, comenta que, nos países da Europa, após a crise de 2008, “o paradigma do desenvolvimento econômico que dirigia nossas economias há cerca de 30 anos passou por profundas mudanças em função dos desafios gerados por essa crise, afetando, inclusive, os lucros das grandes corporações.”

Salvatori complementa, ainda, dizendo que “ao mesmo tempo, ao longo desse período precedido pela crise, as organizações cooperativas cresceram em termos de geração de emprego, em indicadores como o índice de retenção e, sobretudo, as organizações cooperativas passaram a ter um papel essencial como resposta das questões sociais, exatamente por mostrarem que é possível produzir com respeito aos recursos naturais e às pessoas.”

De acordo com o diretor, o que se vê hoje em dia é uma mudança de pensamento e de atitude, com maior valorização do trabalho coletivo. Para ele, enquanto a economia tradicional está em desaceleração, a economia cooperativista vem crescendo rapidamente.

Leia também: A força do Cooperativismo de Crédito

 

Economia Compartilhada e outros modelos

Você já parou para pensar sobre o funcionamento de empresas como Uber, Airbnb, Blablacar, etc.? Essas são algumas das novas plataformas digitais que tem feito sucesso em todo o mundo. E todas elas são baseadas na ideia de coletividade e de compartilhamento de recursos.

Um motorista do Uber ou do Blablacar, por exemplo, compartilha seu carro com os passageiros conectados à plataforma. Assim, o motorista ganha uma renda ou uma ajuda de custo e o passageiro paga só pelo deslocamento, sem a necessidade de possuir o bem (no caso, o carro).

Ou seja, esse modelo de negócio parte da compreensão de que, reunindo esforços e recursos coletivos, é possível alcançar mais vantagens para todos. Não é à toa que a Economia Compartilhada também é conhecida como Economia Colaborativa.

Agora, é válido reconhecer que essa essência colaborativa já faz parte do Cooperativismo desde que esse modelo socioeconômico foi criado, em 1844, na Inglaterra.

Afinal, uma cooperativa é uma instituição formada por associados com interesses comuns, com finalidade comercial e econômica, sim, porém, como afirma Gianluca Salvatori, "o movimento cooperativista não é somente sobre economia. É sobre coesão social, confiança, visão e futuro. O cooperativismo é um modelo econômico que valoriza o lado econômico e o lado social."

O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, completa: “Para nós, a palavra cooperar resume muito bem a frase ‘um por todos e todos por um’.”

Leia também: Como funciona uma cooperativa?

 

A oportunidade das cooperativas

Como visto, o cenário atual é favorável ao desenvolvimento das cooperativas. Na visão do diretor executivo do Euricse, as oportunidades para as cooperativas estão em todas as áreas, onde quer que as pessoas precisem de respostas para suas necessidades, as cooperativas têm a chance de se fortalecerem.

Para Salvatori, “nós estamos numa situação ideal para recriar um novo tecido social, uma nova densidade. Nossa sociedade está perdendo a cola que junta as pessoas. Elas estão perdendo seus ideais, sua vontade de trabalhar por um ideal comum. E as cooperativas podem mudar isso, independentemente do setor econômico em que elas se localizem. Em todos esses setores elas podem propor um futuro ideal e o ideal de um coletivo de recursos humanos para que tenhamos um futuro mais promissor para todos.”

 

Agora, você já conhece o maior Sistema Cooperativo Financeiro do Brasil, o Sicoob? Faça parte!

 

Leia agora: Cooperação é mais vantajosa do que individualismo

 

 

Foto: GettyImages

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.


Assine nossa newsletter!


    Matérias que você também pode gostar