Salário bruto e Salário líquido: quais as diferenças?

Entenda os descontos no holerite, planeje-se melhor e evite dívidas.

Guia de Bolso | 12 de abril de 2017
desconto de inss
salário
salário bruto
Salário bruto e Salário líquido
salário em carteira
salário líquido
salário registrado em carteira
Salário bruto e Salário líquido
Salário bruto e Salário líquido

Não pode ler agora? Ouça a matéria clicando no player:

Quando uma pessoa diz que ganha um determinado salário em carteira, esse não é o mesmo valor que ela costuma receber mensalmente. Um é o salário bruto do trabalhador e o outro, o chamado salário líquido. A confusão entre os termos é comum. Mas é preciso saber diferenciá-los para não se perder nas contas.

– Salário bruto x Salário líquido

O salário bruto é o salário registrado em carteira, o ganho total do trabalhador. Afinal, mesmo os descontos representam benefícios para o empregado (na forma de seguridade social ou alimentação, por exemplo).

Já o salário líquido é o valor que a pessoa recebe, realmente, a cada mês, já feitos os descontos que constam no holerite (contracheque); é a quantia que o trabalhador tem a liberdade de decidir como aplicar (com pagamentos, compras, investimentos, etc.).

– Que descontos podem haver entre um e outro?

Do salário bruto para o salário líquido, os descontos mais comuns que costumam ocorrer são os de impostos, como o INSS e o IRRF, além de descontos alternativos com alimentação e plano de saúde ou descontos determinados pela justiça, como nos casos de pensão alimentícia.

> INSS - Instituto Nacional do Seguro Social

A contribuição para a Previdência Social é calculada conforme uma tabela progressiva: quem recebe mais paga mais. As taxas variam de 8% a 11%, com um determinado teto de contribuição. Confira as faixas de contribuição em vigor (a partir de 1 de janeiro de 2017):

Desconto - inss

> IRRF - Imposto de Renda Retido na Fonte

É a parcela do IR que se paga mensalmente, direto do salário bruto, se o trabalhador estiver na faixa que lhe obrigue a declarar renda.

O valor devido depende de uma Base de Cálculo = salário bruto –contribuição para INSS –pensão alimentícia –número de dependentes x 189,59.

A partir dessa base de cálculo, o trabalhador paga o imposto referente à faixa em que se localize, variando as alíquotas de 7,5% a 27,5%, conforme tabela:

Desconto - irrf

O IRRF descontado do trabalhador é = base de cálculo x alíquota – dedução.

> Outros descontos:

Outros descontos comuns são relativos a benefícios oferecidos pela empresa a que o trabalhador adere, como o PAT - Programa de Alimentação do Trabalhador - que possibilita o recebimento de vales-refeições, ou planos de saúde com descontos, por exemplo.

Além disso, se o trabalhador paga pensão alimentícia descontada direto da fonte, essa dedução do salário bruto também constará no holerite.

– Financiamentos são calculadas sobre o salário bruto ou líquido?

Quando você faz um financiamento imobiliário, por exemplo, por lei, a parcela máxima deve ser correspondente a 30% do seu salário.

Mas é importante notar que esse cálculo é feito a partir do salário bruto. Contudo, como o que você recebe em mãos é o salário líquido, acaba ficando, na realidade, com uma dívida que compromete mais de 30% dos seus ganhos mensais.

Digamos, por exemplo, que uma pessoa receba R$ 4.000,00 em carteira (salário bruto). Assim, uma instituição financeira autoriza uma parcela máxima de R$ 1.200,00 mensais em um financiamento (30% de 4.000). Porém, o salário líquido dessa pessoa (descontando apenas os impostos básicos) deve ser de aproximadamente R$ 3.380,80. Com isso, a parcela assumida acaba sendo correspondente a 35,5% do que essa pessoa tem disponível por mês. Ou seja, o compromisso financeiro assumido pode acabar pesando no bolso um pouco mais do que se espera.

– Planeje-se e evite dívidas

Saber diferenciar bem o seu salário bruto e o seu salário líquido é essencial para um melhor planejamento financeiro.

Entendendo, por exemplo, o cálculo de descontos dos impostos, você pode calcular com mais facilidade seu Imposto de Renda devido. Pode calcular também os descontos com alimentação ou com planos de saúde para conferir se vale a pena aderir ao plano da empresa ou encontrar outras alternativas.

Além disso, ao calcular, por exemplo, as prestações de um financiamento ou até suas aplicações e investimentos, deve levar em conta seu salário líquido, para ter verdadeira noção de quanto pode comprometer-se por mês e evitar dívidas.

Gostou dessas dicas financeiras? Comece a cuidar melhor de sua vida financeira. Conheça o Sicoob - o maior Sistema Cooperativo Financeiro do país.

Gostou dessa dica? Cooperação começa por aqui, compartilhe esse conhecimento.


Assine nossa newsletter!


    Matérias que você também pode gostar